quinta-feira, 30 de dezembro de 2010

Trólebus e Bondes de Santos: a dupla perfeita em um só amor

O ano que passou não teve muitas surpresas em relação a esses dois tipos de veículos que são ecologicamente corretos e agradáveis ao meio ambiente e aos seus passageiros: trólebus e bondes. Mas no caso do bonde teve algumas novidades como a inauguração do bonde italiano de Turim que ocorreu no dia do aniversário da linha turística do bonde em 23 de setembro e oficialmente instituído conforme decreto municipal como o “Dia do Bonde” e a entrega do PIT (Ponto de Informação Turística) na estação de embarque Buck Jones na última terça-feira 21 de dezembro.



Variedades de imagens que marcaram o 10º aniverário da linha
turística de bonde em Santos. Foto: Muito Bem.TV.

Bonde italiano de Turim fabricado pela FIAT no Centro Histórico de
Santos.

Agora se referindo ao trólebus nada mudou por enquanto. Os 6 trólebus Mafersa ano 1988 que faz o itinerário da Linha 20 em Santos ainda continuam firme e forte, mas sem previsão para aposentar. Espero que um dia quando se aposentar seja por uma boa causa. O que todo “trólebusófilo” espera é que os veículos Mafersa sejam aposentados da operação comercial para serem destinados ao projeto da futura linha turística de trólebus e em seu lugar venham novos trólebus mais modernos, confortáveis e silenciosos.
Ao menos esse ano que passou o sistema trólebus de Santos foi bem lembrado pela imprensa local. No dia 12 de agosto foram comemorados 47 anos de operação do sistema trólebus na cidade de Santos. Houve uma matéria divulgada pela TV Tribuna (afiliada Rede Globo Baixada Santista e Vale do Ribeira) dentro do Jornal da Tribuna 1ª edição (jornal local similar ao SPTV da TV Globo SP e demais telejornais de transmissão regional). Nesse dia foi muito marcante aos seus admiradores de trólebus que acredito agora que esses veículos que fizeram história em Santos futuramente sejam lembrados e faltam pouco menos de 3 anos para chegar ao seu cinqüentenário.


Trólebus Mafersa ano 1988 em Santos.

Variedades de imagens do trólebus em Santos. No centro da foto
uma imagem do trólebus italiano FIAT, o primeiro a inaugurar o
sistema santista. Foto: Muito Bem. TV.

A ONG Respira SP em parceria com os movimentos Defesa do Trólebus e Conscientização do Trólebus lutam em parceria com a Secretaria Municipal do Meio Ambiente de Santos para que as nossas autoridades instituam o “Dia do Trólebus” no dia 12 de agosto, data na qual foi inaugurado à operação do sistema e esperamos que o Ministério Público em 2011, decrete o tombamento do sistema trólebus na cidade na qual essa ação foi ingressada pelo historiador Waldir Rueda.
Trólebus e bondes de Santos é uma dupla perfeita em um só amor na qual enche no peito, orgulha e entusiasma todo santista e aos seus admiradores em todo o Brasil e no mundo por ser a única cidade brasileira a contar com esses dois tipos de veículos e até um grande exemplo ambiental e de sustentabilidade a nossa população e as futuras gerações. São Paulo conta somente com trólebus. Rio de Janeiro somente bondes. “É o passado e futuro caminhando lado a lado e sem passado não há futuro”.
Revejam imagens sobre a matéria dos 47 anos de trólebus em Santos.




Esses são os votos de um excelente e abençoado “Feliz Ano Novo” com muita paz, bênçãos de Deus, sucessos e realizações para 2011 e que tenham muitos trólebus e bondes para o ano que ta chegando.




segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Passeio na Linha 11 Coral da CPTM

Foi realizado informalmente e combinado de última hora um passeio de trem na Linha 11 Coral da CPTM (Companhia Paulista de Trens Metropolitano) entre os membros da ONG Movimento Respira São Paulo e Movimento Defesa do Trólebus. Contaram no evento a presença de Marcos Galesi, presidente do Movimento Defesa do Trólebus, Rafael Asquini, membro do Defesa do Trólebus e Werter de Jesus, presidente do Movimento Conscientização do Trólebus de Santos (afiliada ao Movimento Defesa do Trólebus).
No passeio que partiu da Estação do Brás da CPTM entramos em um carro (vagão) da série ou prefixo 2000 que todos conhecem como o trem espanhol que foi entregue no final dos anos 90 pelo ex-governador Mário Covas. Essa composição conta com bancos estofados, suspensão a ar, confortável e não sente balançar.
O destino desse passeio foi a Estação Estudantes em Mogi das Cruzes, no leste da Região Metropolitana de São Paulo, também conhecida por Alto do Tietê devido à nascente do Rio Tietê se situar naquela região. Para alcançarmos o final da Linha 11 que antigamente era conhecida como Estrada de Ferro Central do Brasil teve que fazer baldeação em Guaianazes, na Zona Leste de São Paulo. Lá nós baldeamos em uma composição da série 4400 que foi fabricada na década de 60 e que pertencia a Rede Ferroviária Federal S/A (RFFSA) e mais tarde pela Companhia Brasileira de Trens Urbanos (CBTU) e nos anos 90 com a privatização do transporte ferroviário a CBTU foi repassada para a CPTM se referindo ao transporte de passageiros.
O que me chamou muito atenção nesse carro ou vagão 4400 é por não ter suspensão a ar, ou seja, balança muito e tem trepidações freqüentes. O sistema de ventilação não é suficiente para amenizar o calor e não oferece nenhum tipo de conforto para o usuário. Dá também para pular de um vagão para outro.
Nas proximidades de Poá e Suzano presenciamos uma vila ferroviária que nada mais é do que casas construídas na faixa ferroviária que servia para os operários da Rede Ferrovia Federal a trabalharem e tomar conta do ramal ferroviário.


Vila ferroviária as margens da Linha 11 da CPTM.

Próximo a Estação Jundiapeba em Mogi das Cruzes presenciamos um lava rápido de vagões de passageiros e também várias passagens de nível. O curioso é que além de ter cancelas para interromper o trafego de automóveis enquanto o trem passa, algumas passagens têm o portão de correr para também a mesma finalidade.

Passagem de nivel em trecho urbano da Rua Deodato Wertheimer,
em Mogi das Cruzes.

Finalmente depois de 1 hora e meia de trajeto chegamos à Estação Estudantes no final da Linha 11 e lá registrei algumas imagens do final da linha e do vagão em que viajamos.

Final da Linha 11 da CPTM em Mogi das Cruzes. Ao lado esquedo a
rodoviária da cidade.

Composição 4400 da CPTM que pertencia a Rede Ferroviária
Federal S/A (RFFSA).

A Estação Estudantes também é uma estação multimodal que integra com terminal de ônibus urbano e a rodoviária. Ficamos até ao anoitecer e retornamos a São Paulo. Nesse dia também podíamos contar com o Expresso Leste que parte direto da Estação da Luz até Mogi das Cruzes, sem parar em alguma estação, mas não tivemos sorte de pegá-los. Fica para a próxima.


Placa da Estação Estudantes.

Na próxima expedição o passeio será para Paranapiacaba em Santo André que encontra um grande acervo histórico de como começou as ferrovias no Brasil. Até a Próxima.




terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Inaugurado mais um ponto de informação turística em Santos

Hoje foi inaugurado mais um PIT (Ponto de Informação Turística) no centro histórico de Santos, dessa vez o equipamento fica situado na Praça Mauá junto a estação de embarque da linha turística do bonde Buck Jones. Com a inauguração desse equipamento o município passa agora a ter seis pontos de informações turísticas. O atendimento do PIT é feito por uma recepcionista bilíngüe que distribui folhetos e informativos contando todas as atrações turísticas na cidade de Santos.
A unidade foi projetada pelo arquiteto Ney Caldatto da Secretaria de Planejamento de Santos, tem cerca de 4m2 , em formato oval e foi confeccionado totalmente em vidro temperado, com estrutura de aço escovada. Segundo a Prefeitura o custo da obra foi em R$ 54.000,00, foi custeada pelo DADE (Departamento de Apoio e Desenvolvimento das Estâncias).


PIT (Ponto de Informação Turística) inaugurado na estação do bonde
Buck Jones, no Centro de Santos.
Os outros postos estão localizados no Aquário, Praça das Bandeiras (Gonzaga), Praça Viriato Correa da Costa (Ilha de Conveniência), Parque Roberto Mário Santini (emissário submarino) e Rodoviária, além de outro no Concais, que funciona somente durante a temporada de cruzeiros marítimos.
No evento contaram com a presença de várias autoridades. Estava discursando no momento que presenciei o Prefeito de Santos, João Paulo Tavares Papa. Estavam presentes a Secretária de Turismo Wânia Seixas, o Secretário de Infra-estrutura Antônio Carlos Silva Gonçalves, o Vice-Prefeito Carlos Teixeira, o Deputado Estadual Bruno Covas entre outras autoridades.

Presença de várias autoridades como o Prefeito de Santos, João Paulo
Tavares Papa, a 2ª pessoa da esquerda para direita da foto o Deputado
Estadual Bruno Covas e ao fundo a Secretária de Turismo Wânia Seixas.

No momento da inauguração a cidade ganhou mais um presente: o anuncio no lançamento de um Guia das Praias Paulistas. Com base nas informações do Portal de A Tribuna, o livro traz um perfil das cidades litorâneas, principais pontos turísticos, rede hoteleira, áreas de proteção ambiental e relação das praias. “Ele mostra as belezas naturais e as opções para o turista explorar o litoral de São Paulo”, explicou o secretário Benedito Fernandes.

Lançamento do Guia das Praias Paulista.

O guia tem 100 páginas ilustradas, com detalhes dos 622 quilômetros de praias paulistas, em português, espanhol e inglês, além de fotos da Mata Atlântica.
A edição contempla os municípios de Bertioga, Guarujá, Santos, São Vicente, Praia Grande, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Cananéia, Iguape, Ilha Comprida, São Sebastião, Ubatuba, Ilhabela, Caraguatatuba, classificados como estâncias Paulista. 



segunda-feira, 20 de dezembro de 2010

Licitação do VLT SUSPENSA judicialmente

A 7ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo suspendeu a licitação de concorrência pública para a exploração do SIM (Sistema Integrado Metropolitano) aqui na Região Metropolitana da Baixada Santista-RMBS que seria responsável pela implantação do VLT (Veiculo Leve sobre Trilhos). O autor desse mandato de segurança foi a Viação Piracicabana de propriedade do empresário Nenê Constantino na qual também participa do processo licitatório.
A decisão foi divulgada pela Empresa Metropolitana de Transportes Urbanos (EMTU), que receberia e abriria, nesta manhã (20/12/2010), os envelopes das empresas interessadas em executar o empreendimento.  O certame era realizado no auditório da EMTU, em São Bernardo do Campo, no ABC Paulista.
Notar que essa decisão é provisória. Ainda cabe recurso por parte da EMTU para derrubar essa liminar. Segundo sua assessoria de imprensa o órgão tentaria derrubar essa liminar até o final da tarde. Caso tenha sucesso, anunciará nova data para a entrega dos envelopes e a abertura das propostas.
O SIM é um sistema que custará, em sua etapa inicial, em torno de R$ 700 milhões. A empresa vencedora firmará contrato por 25 anos, com previsão de faturamento em torno de R$ 4,7 bilhões no período.




COMUNICADO DE SUSPENSÃO


São Bernardo do Campo, 20 de Dezembro de 2010.


Comunico que, por força da liminar concedida pelo M.M. Juiz da 7ª Vara da Fazenda Pública de São Paulo (Processo n° 0047710-08.2010.8.26.0053 - Mandado de Segurança) fica adiado, até ulterior decisão judicial, o processo licitatório relativo à Concorrência n° 003/2010.

COMISSÃO JULGADORA DE LICITAÇÕES
PARA A CONCORRÊNCIA N° 003/2010

Sessão a Realizar








Internautas da Baixada Santista reagiram com revolta e indignação contra essa decisão judicial e atacam a Viação Piracicabana


Conforme comentários dos internautas do Jornal A Tribuna de Santos, no litoral de São Paulo a população santista e de mais 8 municípios da Região Metropolitana da Baixada Santista reagiram com muita indignação e revolta sobre essa decisão judicial de interromper o processo licitatório do SIM (Sistema Integrado Metropolitano) que construirá o VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) cujo autor é a Viação Piracicabana, atual operadora do transporte coletivo intermunicipal na região.
Notar que os comentários a seguir são reais divulgados pelo portal de A Tribuna:

“O VLT é de extrema necessidade, e uma empresa privada estraga o desejo de toda uma população”, escreveu Artur, que continuou: A Piracicabana oferece um transporte ruim, não cumpre seus horários e não tem planejamento, por causa disso lota os ônibus”.

Outro internauta tem a mesma opinião. "A Viação Piracicabana presta um péssimo serviço no transporte coletivo intermunicipal, com ônibus desconfortáveis, horários descumpridos, e quase sempre com superlotação de passageiros nos coletivos. Agora, além de tudo, não quer perder o seu monopólio do transporte coletivo na Baixada Santista", opinou Gustavo.

Já o internauta Victor Pinto critica a atitude da Piracicabana. "Como pode uma empresa que vê os seus interesses ameaçados entrar na justiça e impugnar um projeto tão importante para centenas de milhares de cidadãos?", indaga.

Fonte dos comentários acima:



Em minha opinião acredito só ser o começo, creio que tudo isso não passa de jogada e interesses políticos. É muita coincidência mesmo a Viação Piracicabana ter entrado com esse recurso judicial e em horas mais tarde foi à vencedora do processo licitatório do transporte coletivo municipal em Praia Grande, aqui na Região Metropolitana da Baixada Santista. Existem vários comentários e rumores em que o Prefeito Municipal de Praia Grande Roberto Francisco dos Santos ter se manifestado contra o VLT de forma indireta quando o mesmo convocou uma audiência pública em Praia Grande em 8 de junho de 2010 colocando em duvidas a viabilidade e o andamento do projeto, mas depois disso o chefe do executivo de Praia Grande manifestou apoio, mas depois desses noticiários na qual a população agiu com indignação tudo agora gera duvidas e desconfianças.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Modelos são exemplos para VLT na região

Dois caminhos, dois destinos: e o que poderá ser o VLT


         Campinas: um desastre desde o inicio.


Tudo deu errado na implantação do VLT no município de Campinas, no interior paulista, ocasionado por interesses políticos, brigas internas entre as autoridades envolvidas no assunto, mau planejamento da obra, assim ficando afastado da região central, sem alterações nos itinerários das linhas de ônibus municipais e ausência de integração físico-tarifária.
Com base em reportagem veiculada pelo Jornal A Tribuna de Santos em 14 de novembro de 2010 deu para constatar o fracasso em que esse empreendimento poderia beneficiar a população na qual acabou de uma forma triste e quem saiu prejudicado foi o cidadão, foi dinheiro jogado fora e nem se quer não foi dadas explicações a população sobre esses gastos e ocasionou em superfaturamento no contrato.
O VLT campineiro funcionou por quase 4 anos, do período de 1991 a 1995. Existem várias estações abandonadas servindo como pontos de usuários de drogas, moradores de rua, acumulo de lixo e em alguns trechos foram arrancados os trilhos e a rede aérea provavelmente furtada devido ao estado de abandono. Muitos moradores que residem próximo a linha do VLT abandonada se queixam de assaltos constantes. Passaram-se 15 anos e nada foi feito para mudar a cara do local.


Segue o cronograma de etapas da implantação do VLT de Campinas:


·         anuncio do VLT em 1989 pelo Prefeito Jacó Bitar, na época filiado ao PT;
·         em 12 de junho de 1990, o Governo do Estado abre a licitação;
·         no dia 14 de junho de 1991 foi inaugurado o VLT no último dia da gestão do Governador Orestes Quércia. A viagem inaugural só foi de ida, mas na volta às autoridades voltaram de carro devido a falhas no fornecimento de energia que alimentavam as composições do VLT;
·         a operação comercial de fato começou em 1993 com projeção para transportar 100 mil passageiros por dia, mas não chegava a 5 mil por dia;
·         as 11 estações projetadas, só faltaram 3 a serem inauguradas;
·         em 1994 o TCE (Tribunal de Contas do Estado) aponta superfaturamento nos serviços;
·         em 1995 o recém-empossado Governador Mário Covas suspende o contrato com a Mendes Júnior e em seguida encerrou a operação do VLT em Campinas.


Estado de abandono no ramal de Campinas.
Fonte: Jornal A Tribuna, Santos-SP

Existem projetos da Prefeitura de Campinas implantar o VLP (Veículo Leve sobre Pneus) com capacidade inicial para 220 mil passageiros por dia. Se não existir implicações no projeto tudo indica crer que as obras comecem em 2012 conforme declarações do Deputado Estadual Gerson Luis Bittencourt do PT.



         Juazeiro do Norte: perspectiva de ampliação


Na Região Metropolitana do Cariri no Sul do Ceará, próximo a divisa com Pernambuco o VLT já opera há 1 ano e meio. Ultrapassa outros conglomerados urbanos em termos de transporte público. Sua instalação começou a ser debatida em 2004.
O VLT cearense parte da cidade Juazeiro do Norte até a cidade de Crato, tem o seu trajeto feito em 40 minutos com extensão total de 13 km e sem atraso de chegadas e partidas.
O VLT é movido a diesel tendo o elevado nível do ruído no motor, talvez o único defeito perceptível no serviço. Em media o VLT cearense transporta 15 mil passageiros por dia. “Um metrô se justifica com uma demanda acima de 100 mil passageiros por dia”, na qual justifica a empresa que gastou R$ 27 milhões no projeto.
Existem projetos para a ampliação do VLT cearense de Cariri para Barbalha. Essa iniciativa custará R$ 47 milhões para se abrirem mais de 15 ou 16 km de ferrovia, mas o antigo ramal de Juazeiro-Barbalha foi desfeito e não há previsão de reconstrução.



VLT da Região Metropolitana do Cariri, no Ceará,
exemplo de sustentabilidade e desenvolvimento
econômico. Fonte: Jornal A Tribuna, Santos-SP


Baixada Santista


No presente momento aguardamos a abertura dos envelopes da licitação do VLT/SIM que será realizado no próximo dia 20 de dezembro no auditório da EMTU em São Bernardo do Campo, na Região Metropolitana de São Paulo, mas o que mais me preocupa é o sistema municipal de Santos permissionado pela Viação Piracicabana e gerenciada pela CET-Santos. Até o presente momento a CET não se manifestou sobre alguma alteração nos itinerários do sistema santista na qual precisa ser revisto com urgência. A última alteração no itinerário das linhas municipais de Santos foi feita em junho de 1992 com a inauguração do Terminal Valongo.
As condições dos ônibus municipais também não são nada boas para atender os padrões do SIM, são coletivos padrão com chassis curtos de 10m. de comprimento com motor dianteiro OF-1418 e bancos semi-estofados e de encosto baixo. Toda a frota municipal é composta por essas características conforme o contrato de exploração dos serviços feito pela CET-Santos. Esperamos que o próximo prefeito que participará da inauguração do VLT aqui na Baixada Santista reveja esse contrato e mude algumas clausulas.

 
Ônibus municipal de Santos modelo padrão com chassi de 10m. de
comprimento e motor dianteiro OF-1418

Ônibus municipal de Santos modelo padrão com chassi de 10m. de
comprimento e motor dianteiro OF-1418, agora perfil por inteiro


O ideal para atender as características do SIM seriam coletivos cujas características sejam para linhas de grande demanda de passageiros tenham coletivos com chassi de 12m. de comprimento, motor OF-1722 ou motor traseiro OH-0 500 com piso baixo e cambio automático e bancos estofados e de encosto alto. Também poderia priorizar no mínimo 10 da frota municipal operada por trólebus que é um ônibus elétrico, confortável, silencioso e emissor ZERO de poluentes.
Isso é um fato preocupante e espero que o VLT em Santos não aconteça o mesmo que aconteceu em Campinas e que seja referência para as regiões metropolitanas do Brasil, seja suas cidades sede a capital de um estado quanto a uma cidade de interior como já acontece na Região Metropolitana do Cariri no Ceará, cuja cidade sede é Juazeiro do Norte.

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Ônibus que servem ao Porto de Santos terão seus itinerários alterados para a nova Avenida Perímetral

A partir de 1º de dezembro os ônibus das linhas municipais e intermunicipais que servem ao Porto de Santos terão seus itinerários alterados para a nova Avenida Perimetral, cujo objetivo é separar os ônibus urbanos com o tráfego de caminhões e cruzamento de passagens de níveis ferroviários que servem ao Porto assim resultando em viagens rápidas e comodidade aos passageiros.
Nem todas as linhas serão alteradas no sentido Centro/Praia como as linhas municipais 25, 61, 158 e as linhas intermunicipais 06 (915) e 08 (908) permanecerão trafegando pela Av. Eduardo Guinle. Já as demais terão alterações como as linhas 29, 100, 191 e 193 (municipais) e 947 e 948 (intermunicipais), todas no sentido Centro/Ponta da Praia.
Na mão de direção oposta (Ponta da Praia/Centro), todas as linhas que atendem o porto passarão a circular pela Perimetral. São elas: as municipais 42, 52, 61, 139, 158 e 194 e intermunicipais 04, 07, 947 e 948. Todos os ônibus dispõem de cartazes no seu interior que avisam sobre as alterações.
Na extensão da Perimetral haverá parada de embarque e desembarque na região da Bacia do Mercado e próximo à Rua Senador Dantas, nos dois sentidos.


Avenida Perímetral no Porto de Santos.
Fonte: Jornal A Tribuna.

Pelo meu ponto de vista a CET (Companhia de Engenharia de Tráfego) em conjunto com a CODESP (Companhia Docas do Estado de São Paulo) de início estão caminhando bem com essas mudanças nos itinerários dos coletivos das linhas municipais e intermunicipais que servem a região do Porto e espero que as demais linhas que continuem fazendo o trajeto antigo passem a usar a nova Avenida Perimetral sentido Centro/Praia.
Anteriormente trabalhadores do Porto reclamaram dessas mudanças nos trajetos das linhas de ônibus, mas com a sua razão por que antes a Companhia Docas estrategicamente não tinha colocados de maneira correta os pontos de parada de ônibus nos lugares certos e não tinham também instalado travessias para pedestres assim a população resistiu a essas mudanças. Espero que essas medidas dêem certas e o trafego urbano seja isolado de vez com as atividades portuárias.


domingo, 21 de novembro de 2010

Exposição de caminhões e ônibus antigos no Memorial da América Latina em São Paulo

Foi realizado ontém em 20/11/2010 um evento de exposição de caminhões e ônibus antigos no Memorial da América Latina, na Barra Funda, zona oeste de São Paulo. O Evento contaram com as participações da ONG Movimento Respira São Paulo e a APBUS (Associação Paulista dos Busólogos) e admiradores dessas reliquias que fizeram história nas grandes cidades e nos portos brasileiros no século passado.



Frota de caminhões FNM (conhecidos como Fenemê) que
atuaram em diversos portos brasileiros

Ônibus de dois andares Thamco modelo Fofão. Esse coletivo
foi destaque na gestão do ex-prefeito de São Paulo Jânio
Quadros.

Também se pode apreciar miniaturas de ônibus e trólebus antigos além da exposição dos atuais ônibus urbanos que circulam na Região Metropolitana de São Paulo dando destaque a dois carros de treinamentos do consórcio VIP que atuam nas zonas sul e leste da cidade de São Paulo e subordinados a SPTrans, miniaturas dos ônibus articulados da área 2 do consórcio Sambaiba do empresário Belarmino e a Viação Leblon de Mauá expondo o seu ônibus articulado de 18m com chassi Volvo, carroceria Marcopolo do modelo Viale. Tinham também miniaturas de Komki da Volkswagem com emblemas de times de futebol dando destaque aos times do Santos e São Paulo conforme imagens neste blog, mas tinham de outros times tradicionais de todo o Brasil.




Ônibus de treinamento dos consórcios 3 e 7 de São Paulo. A direita da
foto, um ônibus chassi Mercedes-Benz 0 371com carroceria Caio Alpha
ano 1996 do consóricio 3 e a esquerda um Caio Apache S21
reencarroçado sobre o chassi Mercedes-Benz 0 371 do consórcio 7.

Miniatura de ônibus articulado Busscar Urbanus Plus do consórcio 2
Sambaiba do Belarmino.

Miniatura de um trólebus chassi Scânia carroceria Marcopolo San
Remo com a pintura da EBTU nos anos 80.
Ônibus articulado da Viação Leblon de Mauá. Chassi Volvo sob
carroceria Marcopolo Viale.

Vista interna do ônibus da Leblon.
Miniaturas de Kombi dos times do São Paulo e do Santos.

Ônibus rodoviário flecha sobre chassi Scânia que serviu por muitos
anos a Viação Cometa.

E antes de encerrar a visita houve o encontro dos membros da ONG Movimento Respira São Paulo e as Comunidades Defesa do Trólebus e Conscientização do Trólebus de Santos para expor idéias e dar sugestões e ou reclamações de como andam a operação do sistema de transportes em são Paulo e Santos. No encontro estavam presentes o presidente da ONG Jorge Françozo, o vice-presidente da ONG e presidente do Movimento Defesa do Trólebus, Marcos Galesi e a participação do presidente do movimento Conscientização do Trólebus, Werter de Jesus.



Membros da ONG Movimento Respira São Paulo.


segunda-feira, 8 de novembro de 2010

VANDALISMO: até quando continuaremos sendo reféns dessa prática maldita

            Conforme os noticiários do último final de semana que passou veículados pela imprensa local, a cidade de Santos mais uma vez saiu perdendo com os atos de vandalismo. Desta vez as vítimas foram os usuários do transporte coletivo municipal em Santos, no litoral de SP. Tudo isso foi motivado pela morte de um jovem de aproximadamente de 21 anos que já tinha antecdentes criminais. O mesmo foi executado com vários tiros quando esperava sua namorada no bairro da Aparecida em Santos. Cremos que a motivação dessa morte nada mais do que é a possibilidade de acerto de contas ou vingança por parte dos envolvidos no crime organizado. Ocorrido este óbito, vândalos ligado a vítima incendiaram um coletivo da empresa permissionária Viação Piracicabana  na madrugada desse sábado que passou (6/11/2010), por volta de 5:30 na Rua Frei Francisco Sampaio, no bairro da Aparecida dentro do Conjunto Habitacional Catelo Branco, mais conhecido como BNH-Aparecida em frente ao ponto final das linhas 5, 54, 61 e 184. Nessa mesma via passa a Linha 193. No dia seguinte (7/11/2010) esse lamentável episódio ocorreu novamente por volta de 20:50 no mesmo lugar.
           Até quando o santista e o brasileiro em geral vai continuar vivendo com essa impunidade? 
           Pagamos diversos impostos e sofremos muito com a carga tributária para continuarmos vendo essa lamentável cena. Precisamos dar um basta nisso. A população daquela localidade sabe de muitos fatos que ocorrem e muito mais, mas a lei do silêncio prevalece. A população daquele conjunto e todo o cidadão deveria se conscientizar e mobilizar-se para dar um basta nesse vandalismo. O transporte público já é o mais caro no Brasil, as autoridades dão poucos ou não dão nem um incentivo fiscal aos empresários do ramo para investir em um transporte coletivo mais atrativo e com qualidade de 1º mundo e quem paga por isso somos nós, O CIDADÃO.


            Vejam algumas imagens deste lamentável episódio:




Veículo foi totalmente destruído pelas chamas
Fonte: Reprodução/ TV Tribuna.


Outra imagem da proporção desse ato de vândalismo
ao fundo da foto.Fonte: Reprodução/ TV Tribuna.

           
TRANSPORTE,
UM DIREITO DO CIDADÃO,
UM DEVER DO ESTADO


Postagem feita com base no noticiário do Jornal A Tribuna de 08/11/2010.

Veja também pelo Tv Tribuna.com

sexta-feira, 29 de outubro de 2010

OFICIAL: Sai o edital do SIM-RMBS/VLT

            Agora é pra valer! Saiu hoje o edital de licitação para a exploração dos serviços do SIM (Sistema Integrado Metropolitano) aqui na Região Metropolitana da Baixada Santista.


Veja detalhes divulgados no D.O.E. e EMTU:


Objeto: Concessão Patrocinada para a exploração do SISTEMA METROPOLITANO DA REGIÃO METROPOLITANA DA BAIXADA SANTISTA – SIM DA RMBS, consubstanciado na operação, ampliação, conservação e manutenção dos serviços públicos de transporte urbano coletivo intermunicipal, por veículos de baixa e média capacidade, na Região Metropolitana da Baixada Santista, na modalidade regular, compreendendo os Municípios de Bertioga, Cubatão, Guarujá, Itanhaém, Mongaguá, Peruíbe, Praia Grande, São Vicente e Santos.
Sessão Pública: 20/12/2010 - 10h30.

AVISO DE LICITAÇÃO
Encontra-se aberta a licitação acima, na modalidade Concorrência, de âmbito internacional, do tipo menor CONTRAPRESTAÇÃO pecuniária a ser paga pelo PODER CONCEDENTE. O Edital de Licitação estará disponível para consulta ou aquisição, a partir do dia 03/11/2010, na Rua 15 de Novembro, 244 – 5°andar – Centro – São Paulo – SP, no Departamento de Compras e Contratos, tels.: 3113-4775 e 3113-4771, das 9h00 às 16h30. O custo de aquisição será de R$ 10,00 em CD ROM. A entrega dos envelopes nºs 01 (Proposta Econômica), 02 (Metodologia de Execução) e 03 (Documentos de Habilitação) dar-se-á no Auditório da EMTU/SP, na Rua Joaquim Casemiro, 290, Planalto, SBC/SP, no dia 20/12/2010 das 9h30 às 10h30. A SESSÃO PÚBLICA DE ABERTURA DOS ENVELOPES REALIZAR-SE-Á NO MESMO LOCAL E DATA, IMPRETERIVELMENTE, ÀS 10H30.
O edital encontra-se disponível para consulta nos sítios www.emtu.sp.gov.br e www.e-negociospublicos.com.br.
PUBLICADO NO D.O.E. - CADERNO EMPRESARIAL EM 29/10/2010.




Cruzamento das Avenidas General Francisco Glicério com a Conselheiro
Nébias. Note que no lugar da ciclovia passará o VLT.
Foto: Panorâmio Google.

          
             Depois de 13 anos de espera acredito que até o final do ano se tudo der certo conheçamos o vencedor dessa licitação e que 2011 comece com uma nova cara ao transporte coletivo aqui em Santos e Região Metropolitana da Baixada Santista e esperamos que a população se conscientize e deixe o seu carro em casa para apreciar esse novo investimento no transporte público assim contribuindo para uma melhor qualidade de vida e o meio ambiente agradece.






segunda-feira, 25 de outubro de 2010

Encontro entre Comunitários

Ontem dia 24/10/2010 foi promovido mais um encontro entre comunitários e admiradores dos trólebus e bondes de Santos promovidos pela Comunidade Amigo dos Trólebus e Bondes do Emilio Pechini. Aproveitamos esse momento para trocarmos idéias sobre os bondes, trólebus e o futuro VLT daqui de Santos e a radiografia do transporte público da RMBS (Região Metropolitana da Baixada Santista). Compareceram ao encontro Eu (Werter), Emilio e Fábio Matos.
Vejam algumas imagens do evento:


Bonde do Porto na linha turística de Santos com o reboque.

Bonde do Porto na linha turística de Santos com o reboque, agora
de outro ângulo.

No encontro fiz dois vídeos sobre a passagem do bonde no AMV (Aparelho de Mudança de Via) que é um auxiliador de manobras ferroviárias em que o motorneiro ou cobrador possa optar em seguir direto ou se deslocar à direita ou à esquerda através de uma ferramenta em que muda a posição do AMV. A rede aérea precisa de reparo na chave em que passa o pantógrafo (alavanca) do bonde. Devido a posição na chave da rede aérea quando o bonde passa no AMV a chave da rede aérea não está colocada na posição correta, ou seja quando o bonde vira a esquerda, o pantógrafo segue direto e ai o cobrador tem que descer do bonde para arrumar o pantógrafo.
Vejam os videos:











quinta-feira, 14 de outubro de 2010

Governo do Estado divulga entre sábado e segunda-feira o edital de licitação do VLT

Finalmente depois de 13 anos de espera o Governo do Estado anuncia neste final de semana ou até segunda-feira (18/10/2010) a abertura do edital de licitação para a implantação do VLT (Veículo Leve sobre Trilhos) que ligará na 1ª etapa os municípios de Santos e São Vicente. O trajeto será de 11 km de extensão ligando o Terminal da Esplanada dos Barreiros em São Vicente até o Terminal Porto em Santos com capacidade para transportar 150 mil passageiros por dia (VLT, sistemas de ônibus metropolitano e municipal); 59 mil/dia (somente VLT) composto a uma frota de 14 VLT’s de 42 metros (cerca de 350 passageiros/veículo).
O vencedor da licitação terá de substituir a frota atual de ônibus intermunicipais que são compostas por 352 ônibus e remodelar as linhas metropolitanas assim havendo supressão das linhas e algumas serão seccionadas para compartilhar as configurações do SIM (Sistema Integrado Metropolitano).
Estima-se que até o final do ano conheçamos o vencedor do processo licitatório e a assinatura do contrato que executará as obras do VLT e a previsão de inicio das obras ocorrerá no primeiro trimestre de 2011 e a operação do sistema ocorrerá em 2013.



Imagem ilustrativa de como será o VLT aqui na Baixada Santista
após a implantação.

Agora sim que a RMBS (Região Metropolitana da Baixada Santista) começa a virar região metropolitana na prática. Esperamos muito por esse momento e espero que esse projeto não só beneficie a população das cidades de Santos e São Vicente como também melhorem na sua mobilidade física, seja de casa para o trabalho, do trabalho para faculdade e ou vice-versa. Também espero que o santista se conscientize com esse benefício deixando o seu carro em casa e de desloque para o trabalho com um transporte moderno e eficiente.




Sistema municipal de Santos-CET


Atualmente a cidade de Santos conta com mais de 500 mil veículos nas ruas, ou seja, dois para cada habitante. A cidade não tem mais como expandir a sua malha viária devido a esse excesso de veículos em um território com apenas 39,4 km2 que compreendem a área insular de Santos. O transporte coletivo municipal nesses últimos 12 anos vem sofrendo quedas acentuadas devido à baixa demanda de usuários no transporte público devido à concorrência indireta dos automóveis impactados pela redução em seus impostos como o Imposto sobre Produto Industrializado - IPI e a facilidade no financiamento dos veículos. Os empresários do setor de transporte vêm sofrendo dificuldades em manter a manutenção atual da frota de ônibus devido a vários fatores como combustível, pneu e peças de reposição dos coletivos devido ao seu custo operacional influenciando no reajuste da passagem municipal. A saída que a permissionária da Companhia de Engenharia de Tráfego - CET de Santos, a Viação Piracicabana buscou foi investir no sistema de cobrança eletrônica de passagens, mas para levar essa situação em pratica, gradativamente teve que reduzir seus custos com a retirada de seus cobradores de ônibus.
Se antes as viagens nos ônibus municipais e também nos intermunicipais eram rápidas, com a retirada dos cobradores as viagens se tornaram muito demoradas. Os motoristas além de dirigir transportando passageiros, também cobram passagem fazendo a dupla função que é dirigir e cobrar passagem ao mesmo tempo, contribuindo para o caos no trânsito e afastando mais a população a usar o transporte público municipal com os quais são ônibus pequenos, sem conforto e condições totais de insegurança sujeitos a acontecerem acidentes de grandes proporções.
Em Santos existem muitas linhas de ônibus municipais com itinerários ultrapassados e saturados. Essas linhas têm mais de 40 anos de existência originárias a época dos bondes que foram extintos em 1971. Algumas vias santistas chegam até passar quase todas as linhas de ônibus incluindo as municipais e intermunicipais. Se por exemplo Santos atualmente conta com 40 linhas municipais gerenciadas pela CET-Santos e 36 intermunicipais gerenciadas pela EMTU passando por Santos e demais cidades da RMBS em determinadas vias chegam a ter quase ¾, ou seja, mais da metade da quantidade de linhas municipais e as linhas intermunicipais chegam a atingir quase 50% ou equivalente a 16 linhas. Não existe a necessidade de ter 40 linhas nessa via tanto municipais quanto intermunicipais sendo que essa quantidade e a mesma do sistema municipal santista.
Para isso acontecer sugiro que em Santos seja reduzido em ¾ às linhas municipais de ônibus passando de 41 para 30. Nos principais corredores como as Avenidas Ana Costa e Conselheiro Nébias fossem operados por linhas troncais para melhor fluidez no trânsito e itinerários rápidos. E todas as linhas municipais seriam integradas ao Sistema Integrado Metropolitano.
E aproveitando a chegada do VLT que é um veículo elétrico sobre trilhos, silencioso, confortável e não poluente poderia também ser incorporado no sistema municipal uma possível expansão no sistema de trólebus que também é um veículo elétrico e atende as mesmas características do VLT, mas sobre pneus.